[Resenha] O Livro do Destino - Raphael Miguel

08:47

Qual seria sua reação se, de uma hora para outra, o poder de alterar a vida de todos ao seu redor caísse sobre suas mãos? Você conseguiria lidar com o peso de tal poder sobre seus ombros? 

Eric dias é um garoto de dezessete anos desolado após a morte de seu avô Regis - cujo qual mantinha um forte laço de afeição com o garoto. Mesmo sendo um homem simples e humilde, o avô do garoto decidiu realizar um pequeno testamente deixando para cada um daqueles que amava algo que um dia lhe pertenceu. Dentre aqueles incluídos no testamento estavam sua única filha, Lúcia, seus dois netos Eric e Ermes, e Gastão, um primo distante cujo qual o garoto só havia ouvido falar em raras ocasiões quando este era menor.
Testamento lido e beneficiários anunciados, todos foram até a casa do falecido Regis para receberem seus respectivos bens. Ermes recebera o antigo carro do avô, Lúcia, assim como o esperado, recebeu a casa e Gastão, o velho e rico primo distante, recebeu um simples recorte de papel cujo qual nem se dera o trabalho de mostrar; o presente de Eric não havia sido revelado na carta, apenas sua localização : dentro de uma das caixas de sapato do avô.

 Ao encontrar a tal caixa Eric começou a abri-la com entusiasmo, afinal, ele era o neto predileto de seu avô e era óbvio que seu presente deveria ser o mais especial. Entretanto, tudo o que encontrou foi um livro; um velho livro encadernado com folhas em branco. Para que lhe serviria aquilo? Caderno? Agenda? Um diário, talvez?
Não tendo ideia de qual utilidade seu avô costumava dar ao livro, Eric resolveu apenas guarda-lo como recordação. Isto é, até Gastão, o primo desconhecido, lhe confessar algo que fez sua percepção sobre o livro mudar.
O livro era, na realidade, o livro do Destino. Aquele que tivesse o poder sobre o objeto teria nas mãos a força de alterar o destino de qualquer pessoa apenas escrevendo em uma das páginas.




Como diz o ditado, ''grandes poderes vem acompanhados de grandes responsabilidades'' e nosso querido Eric aprende o significado desta frase assim que conhece Nathaniel, o guardião do livro destinado a auxiliar o garoto nesta jornada.
O que era para ser algo simples acaba se tornando um enorme peso para o rapaz. Pelo jeito, decidir o destino das pessoas ao seu redor é mais difícil do que parece. Eric decide que apenas o destino daqueles com quem convive irá ser alterado, como, por exemplo: Ermes, seu irmão mais velho;Lúcia, sua mãe; Vitor, seu melhor amigo; e Dr.Léo, o advogado que ficara responsável pelo testamento de seu avô e que era querido por todos da pequena cidade onde vivia. Ao tentar escrever o destino de Leo, Eric se depara com um problema: o destino do rapaz já está traçado e, para surpresa do garoto, uma tragédia irá acabar com a vida do rapaz. 
Transtornado pelo injusto futuro de Leo, Eric decide procurar o advogado e tentar alerta-lo sobre o perigo que corre, mas acaba sendo ignorado e taxado como louco pelo advogado e, como se isto não bastasse, o garoto começa a ser perseguido por um senhor encapuzado e com vestes negras. Estaria nosso protagonista ficando louco? Oh não, quem lhe dera esta perseguição ser fruto de sua mente.
Seu perseguidor,Heinz, é um dos integrantes de A Marca, uma organização secreta que pretende começar um revolução, mas, para tal feito, é preciso que o livro do Destino esteja sobre sua posse. Entretanto, Eric não está disposto a abrir mão de algo tão precioso e poderoso para alguém como Heinz; ambicioso e com más intenções. Infelizmente para Eric, a palavra ''desistir'' não parece constar no dicionário do velho.

A história nos faz refletir sobre nosso próprio destino e em como somos nosso próprio livro mágico, pois nosso destino é traçado de acordo com nossas escolhas.
Nem é preciso dizer que recomendo, certo? 

O Livro do Destino, de Raphael Miguel (siga o autor para receber mais informações) está disponível para degustação no Wattpad! Adicione o livro no seu Skoob!

Adquira seu exemplar: Chiado Editora; AmazonEasy Books; Livraria Cultura ; Livraria Martins Fontes.

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

0 comentários